SER CRIANÇA É ... O cantinho da nossa Alma onde se é genuinamente feliz. É onde queremos que estejam todas as crianças que conhecemos e aquelas que não conhecemos. As nossas e as dos outros. As daqui e as de além.

Queremos fazer desse canto da Alma uma mansão cheia de portas e túneis, um castelo ou uma gruta com espaço para aventuras em terra, no espaço, ou no mundo subaquático. Aqui, os monstros e as fadas podem fazer corridas de carros contra os animais das fábulas. Aqui vamos contar, ilustrar, animar, vamos trazer quem saiba escrever sobre coisas interessantes para os miúdos e para os graúdos deles. O nosso limite é o da imaginação. E todos nós sabemos onde ela leva as crianças...

quarta-feira, 17 de março de 2021

ERA UMA VEZ UM VIRUS

 


Era uma vez uma mãe. Esperem, com maiúscula: Mãe. As Mães devem escrever-se com maiúscula, sempre.

Era uma vez uma Mãe. Diz de si que Imperfeita. Fala destas “imperfeições” no seu blogue.

Era uma vez uma Mulher com um sentido de humor surreal, e um jeitaço para a escrita, a métrica, a poesia e a rima! E que ainda tem a presença de espírito para responder (à letra) aos trolls cibernáuticos.

Era uma vez uma Enfermeira que trabalha 70 horas/ semana, tem 2 filhos, e ainda arranja tempo para esclarecer dúvidas sobre muita coisa: tolerância, igualdade e equidade, direito à diferença, acessibilidade, saúde...

Era uma vez 2020 e um “bicho” que colocou a Humanidade num enredo de um filme fraquíssimo e sem ponta por onde se lhe pegue!

"Era uma vez um vírus". Este é o título que Carmen Garcia deu ao livro que escreveu, que teve como parceiros o Jornal Público e a Multicare e que foi ilustrado por Tiago Leal.

Usando a rima e uma linguagem acessível a todos Carmen explica, sem margem para dúvidas, o que é, como ataca e como podemos combater este coronavírus que nos anda a moer o juízo há demasiado tempo!

Original de Carmen Garcia  //  Lido a partir de “Era uma vez um vírus” – Ego Editora

Sem comentários:

Enviar um comentário

Depois de receberem a mensagem, os Mostrengos vão preparar o Caldeirão das Respostas.
Vamos adicionar ingredientes grotescos, polvilhar com purpurinas e pózinhos e quando estiver tudo a borbulhar, enviamos o mail com o resultado. Combinado?